Câmara Municipal de Rolândia arquiva denúncia contra Francisconi

A defesa de Luiz Francisconi Neto (PSDB) conseguiu uma importante vitória na noite do último sábado (2). Em sessão realizada na Câmara Municipal de Rolândia, os vereadores decidiram pelo arquivamento da denúncia contra o prefeito afastado, investigado no âmbito da Operação Patrocínio por suposto favorecimento a empresa Somopar em um processo licitatório.

Seis dos dez vereadores presentes votaram pela cassação nos três quesitos que foram avaliados. No entanto, para ter o mandato cassado seriam necessários sete votos. Foram favoráveis os vereadores Alex Santana (PSD), Andrezinho da Farmácia (PSC), o relator da Comissão Processante, Reginaldo Silva (PSC), Rodrigão (SDD), João Ardigo (PSB) e a vereadora Edileine Griggio (PSC), também integrante da CP. Já o presidente da Câmara, Eugênio Serpeloni (PSD), o presidente da Comissão Processante, Irineu de Paula (PSDB), a vereadora Maria do Carmo (PSDB) e o suplente do autor da denúncia, João Gaúcho (PSC), Leandro Olímpio (PSC) se abstiveram de votar.

Advogado de Francisconi, Anderson Mariano lembrou que os depoimentos na esfera judicial não confirmam ligação do prefeito com supostas fraudes, das quais ele é acusado. “Não existe (nenhuma ligação). Até os colaboradores da empresa, que foram ouvidos na esfera judicial, e que também foram ouvidos pela comissão processante, isentaram o Francisconi de qualquer responsabilidade na questão do cheque, e também na suposta fraude”, apontou o advogado Anderson Mariano.

“Então, são duas situações, a da licitação que eles falam que foi fraudulenta, mas não foi, não se deixou de cobrar. E na questão dos cheques, ele nunca intermediou isso. Não há envolvimento algum do Francisconi em qualquer situação irregular, se é que há alguma irregularidade”, defendeu Mariano.

Apesar do resultado, Franscisconi segue afastado do cargo. Ele deixou a Câmara ao lado de seus três advogados, que agora estudam quais os próximos passos para a defesa do prefeito afastado.

Foto: Vitor Struck (Folha de Londrina)

Deixe um comentário